Arquivo da categoria: Papo Sério

O Verdadeiro significado do Natal e os presentes!

“ Esse post faz parte de uma blogagem coletiva. A Liga Materna RS é um grupo de amigas e blogueiras de maternidade do Rio Grande do Sul e hoje estamos fazendo uma blogagem coletiva  em homenagem ao Natal. Cada uma de nós vai abordar um tema diferente, para trazer informações, dicas e sugestões incríveis aos nossos leitores. Convido vocês a conferirem todos os blogs participantes, os artigos estão listados no final deste post. Aproveite para conhecer e seguir os blogs, a página da LigaMaternaRS no Facebook e no Instagram @ligamaternars.

 

esse é o presépio da vitrine de uma loja em Gramado.

esse é o presépio da vitrine de uma loja em Gramado.

Quando eu era criança, o momento mais esperado do ano eram as festa de Natal e Ano Novo. Mas principalmente o Natal, porque era onde grande parte da família se reunia.
Minha mãe sempre fazia de todo para termos uma ceia bacana, como manda o figurino. Era tudo muito bom,tudo lindo e eu guardo cada Natal que passamos juntos com muito carinho nas minhas lembranças.

Mas uma coisa sobre o Natal, é que eu demorei um pouco para entender o que realmente era ‘isso’. Minha mãe sempre falava: é o “Natal é o nascimento de Cristo”. Mas no fundo eu não entendia muito bem porque comemorávamos. Minha mãe, não era muito lúdica para me ensinar, por isso, demorei anos para assimilar as coisas.

Mas porque esse título: o verdadeiro significado do Natal e os presentes? Bom, eu não sabia muito sobre o Natal, eu não entendia muito bem o real significado do Natal -pelo menos eu achava que não-, mas de uma coisa eu sabia: não era uma data somente para ganhar presentes.
Na minha casa, não tinha essa de um presente de cada membro da família. Era um presente (modesto) dos bem próximos: dos meus Pais e dos meus (2) irmãos mais velhos, e deu. Natal pra mim era uma data especial pelo fato de reunir a família, pelo fato de estarmos todos juntos em harmonia, era uma noite em que nos reuníamos e ninguém brigava (risos), Natal era alegria, era riso, era união, era amor, era Paz… Então, no fundo eu acho que eu sempre soube o verdadeiro significado do Natal. Eu só não sabia que já sabia… Porque o Natal é tudo isso ❤

Comemorar o nascimento de Jesus Cristo, é estar bem com a família, é estar bem com os amigos, é perdoar, é pedir perdão. Natal é tempo de rever nossas escolhas, é tempo de pensar em Cristo e tudo o que ele passou para nos salvar.

Hoje em dia vejo muitas crianças pensando em Natal apenas como -mais- um dia em que vai ganhar presente de todo mundo, que vai ganhar o brinquedo que tanto quer  porque se comportou “o ano todo”, que vai ganhar brinquedo porque passou de ano, porque não fez tanta pirraça, porque obedeceu… enfim, vai ganhar presente por tudo!

Aqui desde agora ensinamos ao Gael o verdadeiro significado de todas as festas religiosas. Mesmo não sendo praticante de nenhuma religião, achamos importante manter a fé. Crer em Deus, indiferente da religião, é muito importante pra nós e queremos que Gael também creia. E acho que a melhor maneira de ensinar a fé, começa pelo Natal. Começa pelo ensinamento de que Natal não é só presente. Natal é amor! Natal é Jesus Cristo. É fé. É esperança.

Feliz Natal pra todos vocês, e que o verdadeiro espirito de Natal esteja presente em seus lares no dia 25/12… dia do Nascimento de Jesus Cristo. Aquele que nasceu de um milagre, e depois morreu pra nos salvar. E depois ressuscitou, mais uma vez, por nós!

camila vidal

 

 

 

Leia aqui o post de cada uma das participantes, vocês vão adorar

As Passeadeiras: http://aspasseadeiras.com.br/natal-pelo-mundo

Blog BabyLo: http://blogbabylo.com/o-que-voce-acha-do-natal

Amigas e Mães:  http://amigasemaes.com.br/coresanonovo/

Maria Clara Berghetti / 4 Kids Brasil: http://4kidsbrasil.com.br/lifestyle/diy/item/256-diy-embalagens-para-os-presentes-de-natal-lindo-e-barato

Da Fertilidade à Maternidade:
 ttp://www.dafertilidadeamaternidade.com.br/2016/11/papainoel.html

Mãe de Guri e Guria: http://www.maedegurieguria.com.br/2016/12/decor-e-preparativos-de-natal-para.html

Blog Mamãe Gaúcha: Símbolos Natalinos – https://mamaegauchars.wordpress.com/2016/12/12/o-significado-dos-simbolos-natalinos

Mamãe em Construção: http://www.mamaeemconstrucao.com.br/2016/12/make-para-natal-e-ano-novo.htm

Porto Materno http://portomaterno.com/2016/12/12/noite-feliz/

Odisseia Materna: http://www.odisseiamaterna.com.br/2016/12/festas-de-final-de-ano-na-escola-voce.htm

Blog mamae cria e brinca: Como fazer um globo de neve  ou de natal. http://www.mamaecriaebrinca.com.br/como-fazer-globo-de-natal/

Mamãe do Sul: https://www.facebook.com/mamaedosul/posts/349651502075739 

 

 

presépio da Igreja Matriz em Gramado. Lindo de ver

presépio da Igreja Matriz em Gramado. Lindo de ver

Anúncios

Ministério da Saúde realiza mudanças no Calendário de Vacinação

Foram alteradas doses de reforço para vacinas infantis contra meningite e pneumonia, além do esquema vacinal da poliomielite. Também não será mais necessária a terceira dose da vacina de HPV

Os postos de saúde de todo o país já estão com novo calendário de vacinação para 2016. Estão sendo alteradas doses de reforço para vacinas infantis contra meningite e pneumonia, além do esquema vacinal da poliomielite e o número e doses da vacina de HPV, que não será mais necessária a terceira dose. As mudanças, realizadas pelo Ministério da Saúde, começaram a valer a partir dessa segunda-feira (04).

“Essas mudanças são rotineiras. O Calendário Nacional de Vacinação tem mudanças periódicas em função de diferentes contextos. Sempre que temos uma mudança na situação epidemiológica, mudanças nas indicações das vacinas ou incorporação de novas vacinas, fazemos modificações no calendário”, explicou o secretario de Vigilância em Saúde, Antônio Nardi.

Um das principias mudanças é na vacina papiloma vírus humano (HPV). O esquema vacinal passa para duas doses, sendo que a menina deve receber a segunda seis meses após a primeira, deixando de ser necessária a administração da terceira dose. Os estudos recentes mostram que o esquema com duas doses apresenta uma resposta de anticorpos em meninas saudáveis de 9 a 14 anos não inferior quando comparada com a resposta imune de mulheres de 15 a 25 anos que receberam três doses. As mulheres vivendo com HIV entre de 9 a 26 anos devem continuar recebendo o esquema de três doses.

Para os bebês, a principal diferença será a redução de uma dose na vacina pneumocócica 10 valente para pneumonia, que a partir de agora será aplicada em duas doses, aos 2 e 4 meses, seguida de reforço preferencialmente aos 12 meses, mas poderá ser tomado até os 4 anos. Essa recomendação também foi tomada em virtude dos estudos mostrarem que o esquema de duas doses mais um reforço tem a mesma efetividade do esquema três doses mais um reforço.

PÓLIO – Já a terceira dose da vacina contra poliomielite, administrada aos seis meses, deixa de ser oral e passa a ser injetável. A mudança é uma nova etapa para o uso exclusivo da vacina inativada (injetável) na prevenção contra a paralisia infantil, tendo em vista a proximidade da erradicação mundial da doença. No Brasil, o último caso foi em 1989.

A partir de agora, a criança recebe as três primeiras doses do esquema – aos dois,  quatro e seis meses de vida – com a vacina inativada poliomielite (VIP), de forma injetável. Já a vacina oral poliomielite (VOP) continua sendo administrada como reforço aos 15 meses, quatro anos e anualmente durante a campanha nacional, para crianças de um a quatro anos.

Também haverá mudança da vacina meningocócica C (conjugada), que protege as crianças contra  meningite causada pelo meningococo C. O reforço, que anteriormente era aplicado aos 15 meses, passa a ser aplicado aos 12 meses, preferencialmente, podendo ser feito até os 4 anos. As primeiras doses da meningocócica continuam sendo realizadas aos 3 e 5 meses.

VACINAS – Atualmente, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) distribui cerca de 300 milhões de imunobiológicos anualmente, dentre vacinas e soros, além de oferecer à população todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no Calendário Nacional de Vacinação.

É importante destacar que, nos últimos cinco anos, o orçamento do PNI cresceu mais de 140%, passando de R$ 1,2 bilhão, em 2010, para R$ 2,9 bilhões, em 2015. Além disso, os contratos do Ministério da Saúde com os laboratórios produtores de vacinas estão em andamento e os pagamentos em dia.

FONTE: Portal da Saúde

 

O meu filho aprendeu a bater!

Muitas coisas andam acontecendo por aqui, e uma delas é a falta de tempo para contar à vocês todas as coisas que andam acontecendo por aqui…. entenderam né? rsrs
Pois bem, além de aprender a falar tia/titia (que eu contei hoje na página), Gael aprendeu outra coisa, mas esta tem deixado eu e o marido com os nervos à flor da pele: Gael aprendeu a bater!
Há umas 2 ou 3 semanas ele começou a bater na gente quando algo não sai como ele quer. Qualquer coisinha é motivo para ele levantar a mão e tentar estapear quem estiver perto dele.
Obviamente nós não deixamos assim. Nós sempre explicamos à ele que não pode bater, que bater é feio, que não se pode bater nas pessoas quando quer as coisas. Ele entende, pára, e por um bom tempo não faz mais. Mas ele volta a fazer, ou horas depois, ou no outro dia. Confesso que tem sido bem difícil.

Continuar lendo

Gravidez pode alterar o tamanho do pé para sempre!

Ontem postei no instagram e na page uma foto do chinelo que comprei e comentei que foi um numero maior que o habitual (33/34), comentei também que uma colega de trabalho ‘reclamou’ que seu pé aumentou após o nascimento da bebe dela. Tanto é verdade,  que ela me deu uma sapatilha que havia comprado e usado só duas vezes,  pois estava apertado demais.
Na postagem choveu de gente comentando que passou pelo mesmo, e eu que não sou boba nem nada fui atrás pra saber se isso ocorre mesmo ou nós que somos #mãesinsanas e estamos imaginando coisas. E não é que isso é um fato gurias! #pasmem que já fizeram até um estudo que confirmou que em algumas gravidas o pé não volta ao tamanho que era antes de engravidar #pasmem.
______________
Pela primeira vez um grupo de pesquisadores reuniu evidências científicas de uma antiga reclamação das mulheres: o aumento do tamanho do pé após a gestação!Um estudo divulgado esta semana confirma pela primeira vez o que durante muito tempo foi apenas uma impressão: a gravidez pode alterar permanentemente o tamanho dos pés das mulheres. Realizado por pesquisadores da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, o estudo acompanhou 49 gestantes, cujas medidas dos pés foram registradas no primeiro trimestre da gestação e cinco meses após o parto. Para 70% delas, o pé tornou-se mais comprido e mais largo.

“Já tinha ouvido mulheres falarem que mudaram o tamanho do sapato por causa da gravidez, mas não havia nenhuma referência a isso em livros ou publicações científicas”, afirmou em nota Neil Segal, professor de ortopedia e principal responsável pelo estudo. “Para estudar essa evidência de maneira mais científica, medimos os pés das mulheres. Descobrimos que a gravidez leva, de fato, a uma mudança permanente no pé”.

Pé chato é um problema comum na gravidez, por conta do peso extra e da maior frouxidão das articulações associadas aos hormônios. A novidade é que, após a gravidez, o pé não volta 100% ao normal, como acreditavam os médicos. A pesquisa será publicada na edição de março da revista científica American Journal of Physical Medicine & Rehabilitation.

A pesquisa mostrou que, em média, a altura e a rigidez do arco da sola do pé diminuíram entre as duas medições (primeiro trimestre e cinco meses após o parto). Eles verificaram aumentos no comprimento do pé de 2 a 10 milímetros – ou seja, o sapato pode aumentar um número! O estudo também sugeriu que a primeira gestação é a responsável por essas mudanças, e que as demais não causariam mais alterações significativas na estrutura do pé.

Neil Segal já planeja novos estudos para descobrir se essas mudanças levam a problemas como artrite quando a mulher chega a uma idade mais avançada. “Sabemos que as mulheres, especialmente as que tiveram filhos, são mais afetadas por problemas osteomusculares. Pode ser que essas mudanças nos pés ocorridas durante a gravidez ajudem a explicar por que as mulheres têm mais risco que os homens de ter dor e artrite nos pés, joelhos, quadris e coluna”, explicou.

fonte: Revista Crescer

12341350_922788657816846_4327828251735540655_n

Olha a minha #havaianas 35/36.

Médicos vão receber três vezes mais por parto normal dos planos de saúde!

E o trabalho de formiguinha não pára! Olha aí, mais uma noticia boa 🙂
Devagar se vai ao longe, e muitas vitórias ainda estão por vir acerca da humanização do parto. Um dia todas, ou pelo menos a maioria massiva das mulheres, terão um parto realmente humanizado e respeitoso <3. Eu quero estar aqui viva para ver isso!
————————
A Justiça Federal determinou que a remuneração dos profissionais de saúde em caso de parto normal seja três vezes maior do que em relação ao pagamento feito para fazer uma cesárea. A decisão vale apenas para os partos feitos pelos planos de saúde.

A determinação faz parte de uma ação civil pública para que a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) tome medidas para os planos reduzirem o número de cesáreas que, na rede privada, chegam a ser superiores a 80%. Procurada pela reportagem, a ANS enviou nota onde diz que assim que receber a notificação judicial irá analisar e se manifestar quanto às medidas cabíveis.

A ANS tem 60 dias para elaborar as resoluções normativas para cumprir a determinação judicial. Em caso de descumprimento, haverá multa diária no valor de R$ 10 mil. A remuneração pelas cesáreas será menor mesmo ela sendo necessária justamente para não haver discussão se havia ou não real indicação da cirurgia. Continuar lendo

Plano de Parto!

plano de parto

Provavelmente muitas mulheres não sabem da existência dele, mas o ‘Plano de parto’ existe, e é de suma importância para quem quer um parto respeitoso. Ele é um documento em que você deixa registradas todas as suas vontades para a hora do nascimento do seu bebê.
Ele surgiu nos Estados Unidos, há mais ou menos 30 anos, como uma carta na qual a gestante escreve como prefere passar pelas diversas fases do trabalho de parto, como ela e o seu bebê devem ser tratados antes, durante e depois do nascimento. Ali estarão registrados quais procedimentos médicos a gestante aceita e quais prefere evitar. Afinal, nomes como episiotomia e enema podem não fazer parte do seu vocabulário. Continuar lendo

O (temido) umbigo do Recém-Nascido!

A limpeza do umbigo pode gerar muitas dúvidas nas ‘novas mães’. Acho que esse medo é meio que cultural, pois antigamente se tinha um temor incrível por causa do umbigo. Eu sou dessa época! Lembro-me perfeitamente da minha mãe preocupada falando para minha irmã cuidar do umbigo do meu sobrinho. Nossa… era muita preocupação com aquilo, tinha que cuidar ao pegar ele no colo, cuidar no banho (não podia molhar), ainda usava-se as faixas para  ‘firmar’ a região até o umbigo cair.
O tempo passou, as coisas evoluíram e hoje em dia a preocupação com o umbigo é um pouco menor. Obvio que exige cuidado, mas não é ‘um bixo de 7 cabeças’ como era antigamente.

 

Continuar lendo

Semana Mundial da Amamentação (acesse a cartilha)

A cartilha ”Mãe que trabalha fora amamenta” foi elaborada pelo Ministério da Saúde, com apoio da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ e oferece dicas, esclarecimentos e orientações sobre como manter o aleitamento materno mesmo depois do final da licença maternidade, que para a grande maioria das mulheres brasileiras tem duração de 4 meses ( 120 dias ) e para as funcionárias públicas 6 meses. acesse a cartilha aqui

Alguns dias antes do primeiro dia de ausência da mãe o bebê já deve entrar em contato com o acessório com o qual será alimentado, que seja o copo, a colher ou uma  xícara. Essa antecipação previne a mãe de passar pelo caos que é, na última hora, descobrir que o bebê não aceita e se adapta ao veículo escolhido, não se alimentando o suficiente quando ela não está presente.
Esvaziar as mamas durante o dia de trabalho é imprescindível para que o baque da interrupção do estímulo do bebê ao seio da mãe não diminua drasticamente a produção de leite que teria como resultado o desinteresse do bebê.

Confusão de bicos

Em geral o  bebê de 4 meses ou mais já tem condições motoras para aprender a usar um copo comum, sempre é claro acompanhado de um cuidador responsável.
O principal problema do acessório reside no que se costuma chamar de “confusão de bicos”. Assim que nasce, o bebê tem os reflexos de sugar e deglutir que lhe permitem uma pega correta do seio, que envolve o mamilo e a aréola. Numa boa pega, a língua fica por baixo (no assoalho da cavidade oral), para pressionar o osso do céu da boca, formando um movimento ritmado, como uma onda.  Assim, ele consegue ordenhar os ductos, esvaziando os seios e satisfazendo-se.

Ao ser apresentado ao bico artificial da mamadeira – e também ao das chupetas –, a criança passa a posicionar erroneamente a língua na hora de sugar o peito materno, o que pode levar ao desmame precoce. Na posição errada, o recém-nascido só abocanha o mamilo, não conseguindo esvaziar os seios, o que causa fome, choro e insatisfação ao bebê, e dor, rachaduras e tensão à mãe.

Com o bico artificial, o movimento é mais passivo: usam-se os músculos das bochechas e de abertura da mandíbula para chupar o líquido por meio do vácuo. A língua fica no fundo da boca, apenas controlando o excesso de fluxo. Com a facilidade, a criança tende a preferir a mamadeira ao seio.

Fonte (https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/cuidar/indicacao/cartilha-orienta-como-manter-o-aleitamento-materno-mesmo-trabalhando-fora-de-casa)

%d blogueiros gostam disto: