Arquivo da categoria: Mães de Verdade

A metamorfose “mulher-mãe”

Camila e Gael Vidal

Quando ainda não somos mães, ouvimos dazamigas que já tem filho muita coisa que parece besteira. E muitas vezes são coisas repetidas! Parece que todas as mães tem um canal de comunicação no qual elas se combinam qual discurso elas irão falar para o mundo. Todas (ou a maioria absoluta) das mulheres que são mães falam que conheceram o verdadeiro significado do amor depois dos filhos, que superaram obstáculos antes inimagináveis, que aprenderam a fazer 30 coisas ao mesmo tempo, que vivem cansadas (porém felizes), que se tornaram pessoas melhores, que o sorriso do filho cura qualquer dor. blábláblá. Whiskas sachê!

Eu, quando ainda não era mãe, sempre que eu via alguma mulher se dizendo transformada pela maternidade, achava aquilo um completo exagero. Eu pensava (cá com meus botões): quanto mimimi; isso só pode ser brincadeira! 😒 Alôôu… é só um filho que nasceu. Não pode ter mudado taaaaaaaaaaaaanto assim a vida!

Então me tornei mãe!

A mudança e a transformação não nasceram junto com a placenta. Foi uma transformação diária e lenta, porém muito intensa! E quando eu me dei conta já estava no ‘clube das mulheres transformadas pela maternidade’!
De todas as coisas que mudaram em mim, tem uma que se destaca: Depois da maternidade eu me sinto muito mais forte como mulher. Hoje eu sinto que posso mover o mundo pelo meu filho, e parece que se tratando dele não há o impossível.

Várias situações me fizeram sentir na pele essa força. Superei vários medos, e passei por cima de vários obstáculos que jamais pensei que pudesse enfrentar antes de ser mãe.

A maternidade realmente transforma uma mulher. Seja no amor, seja na dor, seja nos dois.
Mas porque na dor Camila? Ahhhh gente! A ‘dor’ faz parte da maternidade (#pasmem rsrs)! Dor, tristeza e frustração, raiva (entre outros) estão presentes na maternidade. E muito. E a gente aprende D-E-M-A-I-S com isso.

Eu pague a língua de tudo que falei, paguei também por tudo que pensei.
A maternidade realmente transforma a vida de uma mulher.
A minha maior mudança foi que antes eu era forte. Agora, pelo meu filho, eu me sinto invencível!

camila vidal

Anúncios

O meu filho aprendeu a bater!

Muitas coisas andam acontecendo por aqui, e uma delas é a falta de tempo para contar à vocês todas as coisas que andam acontecendo por aqui…. entenderam né? rsrs
Pois bem, além de aprender a falar tia/titia (que eu contei hoje na página), Gael aprendeu outra coisa, mas esta tem deixado eu e o marido com os nervos à flor da pele: Gael aprendeu a bater!
Há umas 2 ou 3 semanas ele começou a bater na gente quando algo não sai como ele quer. Qualquer coisinha é motivo para ele levantar a mão e tentar estapear quem estiver perto dele.
Obviamente nós não deixamos assim. Nós sempre explicamos à ele que não pode bater, que bater é feio, que não se pode bater nas pessoas quando quer as coisas. Ele entende, pára, e por um bom tempo não faz mais. Mas ele volta a fazer, ou horas depois, ou no outro dia. Confesso que tem sido bem difícil.

Continuar lendo

É um guri! E eu já sabia…

Não é clichê, mas eu nunca tive PREFERÊNCIA quanto ao sexo do nosso filho. Não sei se o fato de ser o primeiro filho influenciou, só sei que era assim. Nem eu, nem o marido tínhamos preferencia por menino ou menina. Sempre tínhamos aquela máxima: vindo com saúde tá bom. ❤ 🙂
Os palpites também eram bem divididos, nunca houve uma maioria nas opiniões. Eu me divertia muito… Inclusive até rolou aposta na família kkkk #éverdade!
Ficamos assim por um tempinho, aceitando e rindo com todos os palpites. Continuar lendo

Sobre o chá de fraldas.

baby-showerEu não fiz chá de fraldas.
Não é que eu ache desnecessário, ou ‘feio’, ou qualquer outra coisa desse tipo. Muito pelo contrário, eu acho legal fazer chá, e muitas mães o tem como uma comemoração para a chegada do bebê.
Eu tomei essa decisão porque coloquei no papel, fiz as devidas contas, e depois de analisar cuidadosamente cheguei à conclusão de que financeiramente não seria vantajoso pra nós, o máximo que aconteceria seria uma troca de moedas.O chá valeria mais pela ‘farra‘ do que pelo ganho em si.
Eu sei: Continuar lendo

O ‘causo’ da maionese!

Hoje vou contar um causo que aconteceu Sábado (17/10) aqui em casa. ‪#‎foiobacura‬ ‪#‎aprontoucomigo‬ ‪#quase‎murridesusto‬
Estava eu fazendo janta e bati uma maionese caseira, aquelas no liquidificador, sabem? (quem não sabe dá um google).
A primeira vez não deu certo, então, tirei a maionese ‘desandada’ do liqui, coloquei em uma caneca, deixei na mesa e me virei para a geladeira para pegar outro ovo e refazer a tal maionese. Quando virei de volta para a mesa, o que eu vejo? O quê? O quê? O quê? Continuar lendo

Sobre ter estrias…

Desde o primeiro dia que soube da gestação eu comecei a me cuidar. Eu nem tinha barriga de grávida e já me entupia de cremes e óleos ‪#‎estavasempremelecada‬.
Eu sempre tive uma alimentação rica em frutas e verduras e sempre bebi muuuuuita água. Isso já vinha dede antes da gestação.
Durante a gravidez eu fiz hidroginástica (até enquanto aguentei o peso da pança) e trabalhei até 38 semanas. Ou seja: não fui uma gestante sedentária.

Quando já eu estava comemorando a vitória de ter passado por uma gestação sem estrias, elas apareceram, com 38 semanas e 1 dia, para ser exata. Continuar lendo

Ser mãe é MARAVILHOSO!

10580069_10153073808424617_5325771362885789592_n

Daí azamiga vêm e perguntam: -“E aí Camila, como tá essa vida de mãe”?
Eu imediatamente respondo: -“Tá lindo, tá maravilhoso, tá perfeito…É um ‘pouquinho’ cansativo, mas é muito bom ser mãe, deveria ter feito antes” 😀

Não é por mal, não é querer tapar o sol com a peneira, não é querer mentir prazamiga cair na mesma ‘cilada’ (risos kkkkk). É porque o benefício é muito maior que o custo…Ser mãe vai além, ser mãe supera tudo.
O amor pelo filho é mais forte do que qualquer outro sentimento que vem junto nesse pacote: cansaço, exaustão, raiva, medo, angústia, solidão (sim, solidão!), dor física, e cansaço. Sim, cansaço mais uma vez! Continuar lendo

É verdade! Passa muito rápido….

Sabe quando tu tá grávida e vem aquela penca de mulher te falando: ‘aproveita, porque passa muito rápido!’ sabe?
Pois é, isso é verdade!
Eu enchia o saco de tanto ouvir isso… era azamiga, azinimiga, as conhecidas, a amiga da amiga e assim por diante… todas as mães que eu conversava me diziam isso. E eu, claro, ficava com aquela cara de paisagem, afinal, não sabia o que viria pela frente e achava aquilo tudo um graaaaaaande exagero delas ‪#‎SabedeNadaInocente‬. Continuar lendo

%d blogueiros gostam disto: