Arquivo mensal: maio 2015

Quando o filho não mama! (nossa história com APLV)

Eu já contei aqui no blog como foi complicada a amamentação do Gael.
No primeiro Post me dediquei a falar exclusivamente sobre a ‘amamentação mesmo’ (peito – leite materno) Leia aqui . Hoje vou contar o que acontecia paralelo com aquela guerra.

Quando Gael tinha um mês ele fez cocô com sangue. Eu, desesperada liguei para a Pedi dele na época, e ela sem dar muita atenção disse que podia ser uma fissura que não era pra eu me preocupar. Ok! Eu continuei preocupada, pois sabia que fissura não era, pelo menos não externa! O fato se repetiu e corri para a emergência, afinal alguém teria que me dar uma resposta. Lá fui eu para o pronto atendimento com a fralda cheia de cocô para mostrar ao médico plantonista. Depois de analisar o cocô e se juntar com mais 2 médicos que estavam lá, a médica que nos atendeu me pergunta: você toma leite de vaca? -Sim, eu tomo!
– Então você pare de tomar leite e todos os derivados para fazer um teste, pois pode ser isso. Ela me mandou parar de tomar leite e seus derivados, mas disse que poderia manter a fórmula que eu dava para Gael 1 vez a noite. Eu fiz a dieta que ela sugeriu e parei de comer tudo que tivesse derivados de leite (inclusive bolachas, bolos, queijos, etc.). Depois disso o fato se repetiu mais 2 vezes e não aconteceu mais.

Quando fomos na consulta de rotina contei para a Dra dele na época e ela disse que não, que não era pra eu me preocupar com isso, que não tinha nada e que eu poderia voltar a tomar leite e comer derivados. Disse pra moderar o consumo, mas não mandou parar.
Eu não fiquei satisfeita com aquela resposta, eu sentia que tinha coisa errada ali então troquei de pediatra e contei à nova tuuuuuuudo o que aconteceu, e ela disse a mesma coisa que a anterior: que eu poderia voltar a comer normalmente, pois se eu continuei a dar formula e ele não fez mais coco com sangue, significava que não era aquele o problema. (depois vocês vão entender por que contei isso).

Pois bem, apesar da minha (quase) incansável insistência Gael mamava cada vez menos no peito, e consequentemente eu tentava dar mais fórmula a ele, afinal, de algum lugar ele tinha que se alimentar. Mas o tempo foi passando e veio outra surpresa: ele também não queria a ‘teta de plástico’ (mamadeira). Gael simplesmente não queria mamar nada: nem peito nem mamadeira!  Continuar lendo

Anúncios

A escolha do Hospital!

a escolha do hosp

Oi pessoal, hoje vou contar a estória de como foi que eu escolhi o Hospital que meu filho nasceu, os critérios que usei, e o mais importante: os critérios que não usei!

Eu moro em São Leopoldo (Região metropolitana), mas trabalhava em Porto Alegre, e quando engravidei nada mais natural do que achar uma GO em PoA já que a maior parte do dia eu passava lá, e caso acontecesse alguma coisa comigo seria muito mais fácil ir a um hospital de lá do que vir até minha cidade.

Depois que encontrei a obstetra, uma das primeiras coisas que falamos foi sobre o Hospital. Ela me deu 4 opções de Hospitais que ela atendia, desses 4 o meu plano de saúde cobria 3, e desses 3 ela me sugeriu/aconselhou 1. Disse que era um hospital referência, que ela confiava e que achava que seria a melhor opção pra nós. Depois dessa conversa comecei a pesquisar sobre o Hospital, e entrei em contato com o Plano de Saúde e com o próprio hospital para conferir a cobertura dos procedimentos.  Depois pesquisei muito na internet, perguntei para várias pessoas se conheciam o hospital e se já tinham precisado dele, ou se conheciam alguém que ficara internado lá. A unanimidade nas respostas era absoluta: o Hospital era ótimo em todos os quesitos!
O hospital era limpo, organizado, o atendimento era nota mil desde a recepcionista até os médicos, a comida era boa, as acomodações excelentes, a maternidade era tudo de bom e as gestantes eram respeitadas e super bem tratadas. Enfim, eu nunca vi nenhum ponto negativo, nem na internet nem nas pesquisas de campo. Minha maior preocupação era com relação ao Parto, já que a maioria dos Hospitais não respeita as parturientes (e tem mais toooodos aqueles problemas que já sabemos que acercam um parto hospitalar, e que eu queria evitar), mas depois de ouvir alguns relatos fiquei tranquila quanto a isso.
Minha ultima pesquisa foi com um colega de trabalho que anteriormente vendia equipamentos médicos. Ele elogiou muito o Hospital. Falou que compravam ótimos equipamentos, que era realmente uma referência e que eu poderia ir tranquila que seria bem atendida. Falou inclusive que eles tinham reformado a UTI recentemente e tava ‘TOP’. Esse colega – que entende muito do assunto- dizer que o Hospital era muito bom foi o que eu precisei ouvir para me decidir por ele: Continuar lendo

Eu Testei! Fralda Cremer Magic Care.

Oi gurias, vamos falar de fraldas?
Vou abrir a categoria de testes de fraldas contando um pouco da minha relação com elas.
Desde que fiquei grávida ‘fraldas’ era a minha maior preocupação. Todos à minha volta vinham com aquele papo: te prepara pra gastar uma fortuna com fralda, vai gastar todo dinheiro em fraldas, (mimimi e blablablá…) coisas desse tipo.  Na verdade, eu não acho esse bicho de 7 cabeças não! Não decretei falência por ter que comprar fraldas pra Gael (rsrsr) e acho super tranquilo esse assunto.
Eu não fiz chá de fralda, nem chá de bebê, nem chá de nada. Eu fui comprando durante toda a gestação e estocando. Comprava as que me indicavam que eram boas,afinal, eu não tinha experiência em campo e tinha mesmo que seguir conselhos alheios. Gael nasceu e lá estava eu com uma parte do roupeiro cheia de fraldas das marcas Huggies, Pampers, Cremer e Turma da Mônica. Depois que essas acabaram (o que demorou bastante tempo) eu comecei a explorar o mundo das fraldas e experimentar todas que encontro. Adoro experimentar coisas novas, fraldas então… nem se fala! Sempre compro uma fralda de marca diferente da que tenho em casa. Indiferente da marca e do preço eu sempre compro um pacotinho pra testar. Se der certo entra na lista das compráveis, se não der, paciência e valeu a experiência.

Bom, na verdade eu não sei se existe fralda perfeita, o que eu sei é que existem fraldas ótimas, muito boas, boas, e ruins! Vou contar um pouquinho como eu faço para escolher as fraldas que uso no Gael. Continuar lendo

A vida das Grávidas está mudando…

Oi gurias, tudo bem? Esses dias falei na minha page sobre o ‘vale táxi’, um projeto de lei que prevê táxi gratuito para mulheres em TP (SP). Pois bem, hoje eu compartilho mais algumas ‘novidades’ que estão surgindo. Alguns projetos de lei que estão em andamento, e alguns já aprovados, que pretendem mudar a vida das gestantes. Espero que esses projetos se multipliquem Brasil afora, e que todas as gestantes tenham os direitos citados abaixo, falo isso por que alguns são somente  RJ e SP.Gravidez

Vale-táxi: A Câmara Municipal de São Paulo aprovou, na terça-feira (12), um projeto do vereador Jader Tatto (PT) que garante às gestantes que fizerem o parto pelo SUS o direito ao vale-táxi. A ideia é oferecer o transporte gratuito a mulheres de baixa renda que estiverem prestes a dar à luz e também na volta para casa da maternidade.Para usufruir do benefício, as interessadas precisam fazer um cadastro na Secretaria Municipal de Assistência Social. Ao pegar o táxi, as usuárias deverão apresentar um bilhete específico ao taxista, que será reembolsado posteriormente pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social. Agora, o projeto segue para sanção.

Continuar lendo

Eu estou exausta!

Sim, eu estou cansada! Mas tão cansada que estou me denominado exausta!
Os dias não têm sido fáceis por aqui.

Desde que Gael aprendeu a engatinhar as coisas começaram a complicar, o que já era esperado! Afinal ele quer desbravar o mundo!

Gael faz o tipo madrugador, dorme cedo e acorda cedo. Via de regra entre 20h e 21h ele já está dormindo, tem dias que dorme até antes; e ele acorda entre 6 e 7 da manhã, às vezes ele acorda quase 8 horas, mas esses dias são raros. Continuar lendo

Parto vs Cesárea: Por que a guerra?

partovsce
Dia desses eu estava passeando pela internet, quando de repente vi algo que me chocou profundamente. Uma moça, acredito eu que já é mãe, comentou em um post a seguinte frase:  ‘‘Por isso que eu prefiro morrer a fazer uma cesárea! Por mim eu paria no mato sem ninguém na volta’’.

Depois de voltar do estado de choque que fiquei por alguns minutos, eu me perguntei: será? Será que essa moça falou sério? Será que se ela realmente tivesse que optar entre a vida dela ou a vida do filho OU fazer uma cirurgia para o nascimento do mesmo ela realmente escolheria a morte? Será? Eu, do fundo do coração espero que não. Espero que essa moça nunca precise tomar essa decisão, e espero que essa moça tenha consciência do tamanho absurdo que está falando. Continuar lendo

Pare de criticar as outras Mães!

Sobre amamentar…
Eu fico super incomodada quando vejo Mães criticando outras Mães por causa de amamentação! Eu sei que cada um tem direito de expressar suas opiniões, mas algumas coisas realmente me incomodam por que algumas pessoas julgam sem conhecimento de causa, e é muito fácil julgar uma pessoa sem sentir na pele o que  ela sente, sem passar o que ela passa, sem viver as coisas que ela vive. É muito fácil julgar uma mãe que dá mamadeira para seu filho sem saber o porquê aquela criança não mama no peito.
Então, fazendo uso do meu direito de se expressar, aqui vai a minha opinião: Pare de criticar uma mãe que não conseguiu amamentar!

Continuar lendo

O dia que meu mundo desabou (a entrada na UTI).

Eu tive duas grandes motivações para criar o blog e a Page: amamentação (ou melhor, a ‘não amamentação) e a UTI. Nesse relato eu conto como foi esse dia massacrante na minha vida. Conto como foi ouvir da médica que meus planos tinham mudado completamente, e agora tudo estava nas mãos deles e de Deus, é claro!

cti22 Continuar lendo

%d blogueiros gostam disto: