Para uma grávida de primeira viagem!

36 semanas

Então você pegou o resultado do exame e aquela duvida que pairava sobre sua cabeça se tornou uma certeza: você está grávida!

E agora? O que fazer?

As duvidas já começam nesse momento: Ligar para o pai do bebê? Ligar para a nossa mãe? Ligar pra irmã? Ligar pra melhor amiga? Ou não ligar pra ninguém e contar ao vivo? Fazer uma mega surpresa ou simplesmente entregar o exame e dizer que está grávida?

É… Gravidez é isso mesmo! Você fica cheia de duvidas, de incertezas, de aflições, mas também cheia de amor, de vida, de felicidade!

Quando não temos filhos e algumas amigas têm, muitas vezes o papo é chato, é repetitivo, é tudo igual: eu amo meu filho – blábláblá/ eu dou a vida por ele-blábláblá / eu não durmo mais- blábláblá/  to cansada- blábláblá/ minha vida mudou completamente-blábláblá… E por aí se vai! São histórias intermináveis com incontáveis clichês!

Mas vou contar um segredinho pra vocês: Agora todos os clichês se tornam realidade, e num instante você percebe que tudo aquilo que falavam é verdade.

Estar grávida é o máximo: todo mundo de paparica, todo mundo te mima, você é a dona do campinho onde estiver! Você faz amizades mesmo sem querer e em qualquer lugar que vai, e se vai onde tem fila então… Ave Maria! Pre-Para o coração, por que filas são um chamarisco de conversa com grávida rsrsrsr, é verdade!  #vocêsvãover (ah, transporte publico também é sinônimo de chamarisco! kkk).

As pessoas adoram grávidas! E até mesmo pessoas que você nunca viu na vida vem puxando papo querendo saber o sexo, se já tem nome, pra quando é, se é o primeiro, e mais uma infinidade de perguntas. Acredite! Por mais introspectiva que você seja, quando perceber, já vai estar de papo com a moça da frente na fila do ‘super’. #éinevitável  #depoismecontem.

Quando você encontrar com outra grávida na rua, a troca de olhares e sorrisos é outra coisa inevitável. Vocês vão se olhar e pensar: #tâmuJuntoAmiga.

Se você tem amiga/conhecida que teve filho recente, ela vai conversar muuuito contigo, e nessas conversas os depoimentos de como foi com ela são inevitáveis, mas acredite: ela não quer roubar tua cena, nem quer te dar lição, nem quer te ensinar nada. Ela quer é dividir com você, contar pra você como foi com ela. Sabe por quê? Por que estar grávida é muito bom, e ela só quer reviver um pouco daqueles momentos; e um dia você fará exatamente a mesma coisa com outra amiga grávida! Porque depois que o bebê nasce dá uma saudade enorme dos dias de gravidez, então qualquer oportunidade de reviver aqueles momentos são ótimos…

E por falar em saudade da barriga, vem aí nosso próximo clichê: Não interessa, vou repetir: NÃO INTERESSA quanto perrengue você vai passar na gravidez (espero que não sejam muitos): você vai sentir saudade da barriga. PONTO. Por isso meu conselho é: aproveite, curta bastante, tire muitas fotos, porque vai dar saudade! #certeza

Mas… gravidez não é feita só de coisas lindas, nem tudo tem aquele brilho que a maioria fala.

Tem algumas coisas que ninguém te fala e uma delas é que Gravidez é muito difícil! Por mais feliz que você esteja, por melhor que esteja o andamento da sua gestação, acredite em mim: não é fácil estar grávida! Carregar outra vida dentro de si e ser responsável por ela é ‘literalmente’ um peso enorme! (Creio que por isso ficou para as mulheres, certamente os homens não aguentariam passar por isso!).

No inicio a preocupação é constante: será que ele tá bem? Será que está tudo certo? Será que ta crescendo? E então você passa a contar os dias para o retorno na GO para poder ver aquele borrãzinho branco naquela imensidão preta, para só assim ficar despreocupada! Momentaneamente despreocupada, por que ao sair do consultório a preocupação volta a te assombrar. Quando  o bebê começa a mexer além de ser uma emoção maravilhosa é também uma preocupação a menos, pois já podemos monitora-lo, afinal, sabemos que tem que se mexer pelo menos 3x ao dia (dependendo da fase da gestação-vide).

Então, você já está lá no terceiro trimestre e tem que terminar o enxoval, terminar o quarto, escolher o nome do bebê (ok! esse é por minha conta, nós escolhemos bem tarde mesmo), escolher a maternidade, planejar o parto, pensar no que vai fazer depois que ele nascer… Nossa, são tantas coisas, tantas perguntas, tantas duvidas, que você pira. Sim você vai pirar, por muitas vezes! Mas acredite: vai dar tudo certo, tudo vai se resolver.

E sobre as coisas que vão se resolver: sim, você vai saber o que fazer depois que ele nascer! Não se preocupe muito com isso. Já ouviu falar em Instinto de mãe? Pois é… (olha mais um clichê aí!).

E por falar em ‘quando ele nascer’: a sua ficha só vai cair nesse dia! O dia do nascimento do BB é o dia em que tudo se torna realidade, o dia em que você para e pensa: ‘é real, é de verdade! Daqui a algumas horas ele vai estar aqui conosco’. Nessa hora vai te dar um leve desespero, mas como já falei: vai passar!
(Sobre a MINHA gestação).

Quem me acompanhou de perto sabe que eu passei alguns perrengues na gravidez:

Com 6 semanas descobrimos um hematoma no meu útero. Tive que ficar 15 dias em repouso total, pois tinha risco de aborto espontâneo.

Com 17 semanas fui para o hospital com muitas dores, 7 horas depois, voltei de lá com dores e marcas de roxo nos dois braços (antebraço também) e nas duas mãos. Me ‘picaram’ muito porque não achavam as veias para aplicar a medicação e soro.

Até as 20 semanas eu quase morri de tanto enjoo. Eu não conseguia sentir cheiro de comida. Comida caseira, sabe? Aquela comidinha da mãe, cheirosa, gostosa… Pois é, só de pensar em comida eu enjoava. E isso me fez perder bastante peso no inicio da gestação (E também certa vez me fez vomitar na rua… #quemico). E depois que passou essa fase, veio a fome. Gente, eu sentia muita fome! Eu acordava de madrugada pra comer (Sabe os assaltos à geladeira? pois é!), parecia que não comia há semanas! Sem explicação, mas era assim.

Com  26 semanas eu comecei a ficar desconfortável pra dormir, e com 28 semanas eu simplesmente não dormia mais. Sentia muita falta de ar, muita dor e não me ajeitava de jeito nenhum (nem com o minhocão (travesseiro)). Eu cochilava por uma hora, no máximo duas e acordava. Ah, o maridão também não conseguia dormir direito, segundo ele ‘eu não deixava’, vê se pode!? kkkkk Desculpa amor, foi sem querer!

Eu comecei a sentir contrações de treinamento super cedo, com 28 semanas. Elas doem, e por diversas vezes eu tinha que parar onde estivesse, por que caminhar era impossível!

Como eu passei todo o verão grávida eu inchei demais. Era um absurdo como ficavam meus pés e pernas, aliás, não existia uma separação entre os dois! Era uma coisa só, e sabe aquele ossinho do lado do pé? Pois é, ele deixou de existir em mim por um bom tempo kkkkk.

Eu sentia muita cãibra, meus dedos dos pés chegavam a ficar retorcidos, e por diversas vezes o maridão tinha que vir correndo me socorrer com massagens, por que eu travava total!

Ah, e cólica de gases!! Meu-Deus-do-Céu… não vou entrar nesse assunto, vou dizer só uma coisa: foi punk!

Então, chegou um momento que eu me perguntei: Por que ninguém me contou que era assim? Por que não me falaram que é muito difícil estar grávida?

Porque as pessoas só falavam do brilho, do cabelo que fica sedoso, do olhar que fica radiante, do semblante de felicidade, da beleza que aflora ainda mais… Por quê? Por que não me avisaram? Por que não me prepararam pra isso? Porqueporqueporqueporqueeeeeeeee????

Hoje eu sei por que ninguém me contou: Por que quando falamos as coisas ‘ruins’ parece que foi um martírio, uma coisa péssima, insuperável, dolorosa, triste… Mas na verdade não foi! Pode ter sido desconfortável no momento, mas depois a gente simplesmente esquece todas as coisas ‘ruins’ que aconteceram! Todos os contratempos, as dores, as noites mal dormidas, o inchaço, o cansaço, a irritabilidade… Tudo isso fica pra trás! (olha mais um clichê aí).

Quando o teu filho nascer você também vai esquecer tudo o que não foi legal na gravidez e vai lembrar só das coisas boas. As coisas ‘ruins’ serão apenas lembranças de tudo o que você teve que passar para ter o seu pequeno nos braços e você não vai sentir tristeza ao lembrar dessas coisas, mas sim nostalgia! Porque você sabe que passaria por tudo aquilo novamente só para ter momentos como esse…

camila vidal

Anúncios

Marcado:, , , , , , ,

Comente este post! (seu e-mail não será divulgado!)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: